quarta-feira, 26 de julho de 2017

Conheça nossa comunidade


Somos uma entidade religiosa católica definida como Comunidade de Aliança aguardando aprovação da Igreja, com aproximadamente cinqüenta membros que se reúnem periodicamente para formação.

Temos como carisma o Acolhimento baseado na tríplice dimensão: acolher é evangelizar, acolher é formar e acolher é amar.

Através deste carisma procuramos exercer o acolhimento evangelizando, formando e levando cidadania a quem precisa.

Somos considerados como uma comunidade de aliança fundada por quatro casais. Não somos comunidade de vida, nos reunimos em nossa casa e depois partimos para as diversas missões.

Fundamos em 23/10/2002 Dia do Cristo, Rei do Universo.

NOSSA HISTÓRIA

A Palavra

Tudo começou com a palavra de Deus tirado de Ezequiel 47 onde através desta palavra Deus nos chamou a mergulharmos em águas mais profundas, quando li esta passagem o meu interior se encheu de uma profunda vontade de se atirar em Deus e viver de forma ousada sua Palavra.

Daí pra frente Deus foi falando mais profundamente em meu coração, foi quando às quatro horas da manhã em minha oração pessoal pedi a Deus que conduzisse meu chamado a este pedido de mergulhar para as águas mais profundas e começasse pelo meu trabalho.

Explico melhor, eu tinha uma padaria e trabalhava de segunda a segunda-feira sem descanso, então disse a Deus que se Ele quisesse mesmo que eu atirasse em águas profundas que colocasse a mão em meu trabalho e me levasse para outros caminhos, onde pudesse viver seu novo chamado em minha vida.

Os fundadores

Neste tempo conversava com os fundadores Rita, Celso, Branca, Mauro, Carlos, Isabel e minha esposa Regina, que como eu, tinham mais de vinte anos na caminhada do Grupo de Oração Bom Pastor, e sentia também deles a vontade de servir a Deus em uma caminhada mais ousada e radical.

Comecei a orar ainda mais com intensidade e perguntar a Deus o que Ele realmente queria de nós os fundadores e então com muito sacrifício fui compreendendo que meu amor por Deus antes deste chamado estava esfriando e chegando bem próximo ao desânimo espiritual, enquanto isto, a palavra de Ezequiel 47 continuava queimando meu interior e incomodando meus pensamentos, sentia de Deus que a todo tempo me mandando mergulhar e não só molhar os tornozelos apenas, mas deveríamos nos comprometer de corpo e alma na missão, ou seja, entrarmos na água e molharmos por inteiro.

Fiquei junto com os fundadores discernindo o que Deus queria ou como queria que respondêssemos a este mergulho na fé, nos reuníamos e orávamos, pedindo que se esclarecesse a vontade de Deus.

Por onde e como começar?

Percebemos que seria necessário abrirmos uma Associação e fundarmos uma Comunidade; tentamos de toda forma começar este Projeto de Deus em nossos corações.

Participávamos do Grupo de Oração e amávamos muito o povo ali presente e com isso gostaríamos de carregar todos junto conosco, o Grupo de Oração contava com a presença de 700 pessoas e cento e cinqüenta líderes, porém não deu certo, nem todo mundo ali presente entendia o que significava abrir uma Comunidade. Sei que o chamado de Deus estava claro para nós, mas como responder a este chamado?

É importante frisar que nós os fundadores éramos praticamente os que estavam à frente daquele grupo de Oração, sendo eu o Coordenador do grupo de Oração. Íamos praticamente todos os dias na igreja. Apesar de haver citado que estava com desânimo ou perdendo o ardor e amor as coisas de Deus, mesmo assim, freqüentávamos diariamente a igreja e realizávamos um trabalho amplo na paróquia, como anunciadores, indo de casa em casa evangelizando e depois realizando um trabalho amplo social e espiritual com os aproximadamente 700 pessoas que freqüentavam assiduamente o Grupo de Oração.

Porém mesmo assim sentíamos insistentemente o chamado de Deus em nossas vidas para uma decisão radical e de acolhimento aos marginalizados da sociedade.

Cristo através da Palavra de Lucas Capítulo 14 versículos 15 a 23, nos deixava bem claro que deveríamos buscar todos os que estão nas encruzilhadas da vida. Queremos e desejamos buscar os marginalizados da sociedade, os que possuem problemas de relacionamento, os que não enquadram na sociedade, etc.

Tivemos muitas dificuldades para entender isto no início e saímos convidando todos os que já tinham caminhadas na igreja e como resposta imediata de Deus, nenhum deles permaneceram na comunidade, mas os que chegaram com problemas pessoais e desvios psicológicos, ou mal amados pela sociedade, os que carentes, os mais miseráveis permanecem entre nós, buscando a santidade e doando radicalmente a vida pelo evangelho.

Encontro com Cristo Crucificado

Neste tempo ouvi muitas pessoas, mas principalmente Deus foi esclarecendo as coisas para nós, até que um dia tive uma experiência maravilhosa com Deus em dois momentos de oração distintos antes de começar o Grupo de Oração Bom Pastor:

Cheguei ao Grupo de Oração e me coloquei em oração, fechei os olhos e comecei a orar, foi quando de repente fui conduzido por Deus a um momento forte de oração onde não ouvia mais o som da música e estava em um lugar escuro, onde me apareceu diante de mim dois olhos verdes e delicados, parecendo femininos que me olhavam fixamente enquanto em meios aos dois olhos surgiu uma cruz que veio em minha direção, quando bem próximo de mim ao me alcançar a cruz entrou em minha vida e os olhos sumiram diante de mim, e eu voltei em si, ouvi as músicas novamente tocarem, foi questão de minutos.

Fiquei muito incomodado com esta experiência, não bastasse a palavra de Ezequiel que não saia da minha mente e do meu coração, agora era esta experiência que me fazia refletir o que Deus me estava pedindo. Fiquei profundamente chateado comigo mesmo por não perguntar quem era?.

Passado um mês mais ou menos estava eu novamente na igreja no início do Grupo de Oração e novamente fui levado a uma profunda experiência parecida com a anterior, só que desta vez o que me pareceu foram dois olhos que transmitiam um profundo sofrimento, uma dor como nunca em minha vida eu vi nos olhos de alguém, aqueles olhos transmitiam um sofrimento tão grande que eu tive medo de olhar para eles, porém uma força não permitiu que eu não desviasse meu olhar dos seus olhos, desta vez tive a coragem de perguntar “Quem és tu?”.

Quando fiz esta pergunta os dois olhos foi se afastando de mim e mostrando a parte de cima da cabeça e certifiquei então que havia uma coroa de espinhos e o sangue derramou pelo rosto até que sumiu diante de mim.

Voltei em si e me lembro que no final deste Grupo de Oração uma senhora se aproximou de mim com um presente em suas mãos e me presenteou, quando abri o pacote, certifiquei que era uma camiseta com dois olhos desenhados e escrito “Olhos firmes em Deus”.

Compreendi que o chamado de Deus em minha vida iria trazer muito sofrimento e muita dor, por isso a cruz que saiu entre os olhos de Maria e os olhos sofridos de Jesus apareceram pra mim. Vi a dor dos marginalizados excluídos dos que sofrem no olhar de Cristo.

Não sei explicar o que aconteceu neste dia, nunca tive esta experiência antes, e me considero muito frio e calculista e até bem racional em relação à fé.

Só sei que esta experiência juntamente com a palavra Ezequiel 47 não me deixava sossegado.

Queremos acolher os irmãos marginalizados com o amor de Cristo.

Fundação

Meu irmão pediu a padaria de volta e fui trabalhar em outro lugar onde poderia viver minha vida em maior consonância com a missão que assumiria.

Neste dia O Celso, um dos fundadores me disse: “Gilberto abra a Comunidade e onde você for; nós iremos também”.

Fizemos um encontro com os quatro casais e naquele retiro debaixo de uma cachoeira como Ezequiel quarenta e sete nos molhamos e batizamos o início da Comunidade: Associação Cristo, Rei do Universo – Comunidade Bom Pastor, neste dia os fundadores aprovaram os documentos sem mesmo ter lido por pura confiança e respeito que havia entre nós.

Levamos o Estatuto e a Constituição da Comunidade ao Dom Amaury, então bispo Diocesano naquela época, que nos deu a sua benção e a benção da Igreja e começamos a viver como Comunidade. Dom Amaury revisou toda a Constituição e aprovou a mesma em tempo de Experiência por cinco anos.

Vieram então os Co-fundadores que somaram a nós e iniciou até hoje um intenso amor e missão por amor a Deus e aos irmãos que precisam e necessitam da palavra e do pão.

Branca, Mauro, Rita, Celso, Bel, Carlos, Regina e eu fundamos esta Comunidade no dia 24 de novembro de 2002 dia do Cristo, Rei do Universo oficialmente com estatuto civil e a benção de Dom Amaury. Diante do Santíssimo na Festa do Sagrado Coração na sexta-feira de 2002, prometemos que diria sim e alegremente e conscientemente aderíamos ao seu chamado em nossas vidas.

No dia litúrgico do Cristo, Rei do Universo do ano de 2002; oficializamos a fundação da Comunidade Acolhimento Bom Pastor, temos como carisma o acolhimento que baseamos na tríplice dimensão: acolher é evangelizar, é formar, é amar.

Neste tempo pedimos para alguns sacerdotes para nos acompanhar e orientarmos espiritualmente, porém tivemos as recusas, quando enfim ouvimos falar de Padre Flávio e fomos conversar com ele, que nos acolheu com muito amor, foi celebrar conosco e disse que se Dom Amaury abençoasse e aceitasse que ele fosse o diretor espiritual, ele aceitaria o que foi confirmado.

O que mais desejamos é viver o amor de Deus a todos sem interesse algum pessoal a não ser viver o Reino de Deus.

Pedimos humildemente ao Bom Deus e a Igreja de Cristo que nos deixe acolher todos os marginalizados e os que se sentem separados por algum motivo na sociedade.

Gilberto Ângelo Begiato
Fundador e Coordenador da Comunidade Acolhimento Bom Pastor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Estrada Municipal do Varjão, 1641 - Jardim Novo Horizonte
Jundiaí- SP

E-mail: escritorio@comunidadebompastor.com.br
Telefone: 11 4582-4163

Estamos no facebook

Mais lidos da semana